09 janeiro 2010

Siga para Bingo!

Já que a Lili não arranja tempo para pôr cá o poema anterior, e cumprindo a "tradição", cá fica a última criação artística, bem regadinha a tintol.

"Reunidos à volta da mesa,
Para testemunhar este acto,
uma bela torta de noz
E melhor arroz de pato.

Faltaram alguns "Mólhos"
Mas fizemos muitos "acórdos"
na próxima sexta é em casa do Nuno
Para comer arroz de tordos (ou então leitão)

Leitão não rima com tordos
Mas esta gente come na mesma
A Andreia foi à cabeleireira
E parece uma abantesma.

Este verso é para apagar,
Porque a Andreia pagou o serviço
Pode ser que a coisa volte ao normal
Assim se arranje algum feitiço.

O Eduardo foi buscar a Maria
E é capaz de não voltar
A malta já não aguenta
só nos apetece chorar.

A Maria Eugénia de S. Tomé
Está sentada na minha cadeira
O tozé -bebe-essa-merda
Não apanha uma bebedeira.

Isto podia continuar,
Tenho paleio para 24 horas.
Mas quero que vocês se lixem
Está na hora de ir emboras.

Emboras não está correcto
Mas "acórdos" também não.
Já ganhei um jantarito
À pala do cabeção"

5 comentários:

moni disse...

MUITO BOM!!!

naska disse...

Pois é Mónica, é para ver o que eu sofro a aturar certas e determinadas pessoas e o que a menina anda a perder!

Veja lá se arranja tempo na sua agenda para se juntar à malta!

naska disse...

Aproveito também para deixar registado o meu profundo desagrado relativamente aos vocábulos 'abantesma' e 'cabeção' e informar o seu autor que ainda estou a considerar fortemente a possibilidade de o processar...

Perchta disse...

Lol... o que vale é que, em princípio, hoje à noite não há portáteis com wireless à mesa!

naska disse...

A ver vamos, que isto nunca se sabe...

E agora a sério não seria melhor eliminarmos lá uma quadrazita?:)